Bolsonaro decreta fim do horário de verão, apesar de economia de R$ 1,4 bi em consumo de energia em 8 anos

BR: O horário de verão não existe mais. Decreto que acabou com o adiantamento, em uma hora, nos relógios da maioria dos estados brasileiros, entre os períodos final e inicial de cada ano, foi assinado nesta quinta-feira 25 pelo presidente Jair Bolsonaro, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

De acordo com o Ministério das Minas e Energia, porém, o Brasil economizou em consumo de energia pelo menos R$ 1,4 bilhão desde 2010 em razão do horário de verão.

O principal fator a embasar a decisão de Bolsonaro, que ele já havia adiantado, foi um relatório feito pelo deputado João Campos (PRB-GO), sem dados oficiais, registrando, por exemplo, que as pessoas se sentiam com sono e cansadas pela mudança temporária no horário.

O fim do horário de verão chegou a ser avaliado em 2017 pelo governo do ex-presidente Michel Temer. Na época, o Ministério de Minas e Energia apontou que a economia gerada havia caído de R$ 405 milhões para R$ 159 milhões. O motivo da queda na economia foi a mudança no perfil de uso da energia: os picos de consumo estavam nas horas mais quentes do dia devido ao ar-condicionado.