Carlos retoma comando da rede digital bolsonarista, que mostra Bebbiano como ‘gente poderosa’ e ‘traidor’

BR: Piloto número 1 da equipe do então candidato Jair Bolsonaro na corrida presidencial pelas redes sociais, o vereador Carlos Bolsonaro retomou sua influência na comunicação eletrônica durante o episódio da exoneração do ministro Gustavo Bebbiano. Em grupos de WhatsApps, por meio de mensagens e memes depreciativos a Bebbiano, a ampla malha de bolsonaristas tem procurado, nos últimos dias, elogiar a posição de Carlos no confronto e, claro, atingir o ministro das mais variadas maneiras. Um áudio intitulado ‘O Verdadeiro Bebbiano’ passou a circular neste domingo 17, contendo acusações que apontam para tráfico de influência, feita por ele, dentro do Palácio do Planalto.

Nas montagens de fotos que colocam os dois contendores frente a frente, Carlos aparece de modo simpático, enquanto Bebbiano é o mau da história. Postagens feitas anteriormente pelo vereador foram retomadas agora para mostrar que ele percebera desde antes o perigo configurado na presença de Bebbiano no Palácio do Planalto. O fato de o ministro ter desmarcado de sua agenda oficial, na semana passada, por ordem do presidente, uma reunião com o vice-presidente de Relações Institucional da Rede Globo, Paulo Tonet, vai sendo explorado como prova de “traição” dele sobre Bolsonaro.

Chamado de “gente poderosa”, Bebbiano é mostrado como tendo ligações com o grande capital, em insinuações que o apresentam como uma espécie de lobista de interesses inconfessáveis. Carlos, ao contrário, é mostrado como o filho diligente que denunciou o personagem dessa grande trama.