“Não sei, quem sabe?”, respondeu Bebbiano à pergunta da Globo, no Jornal Hoje, sobre se seguia no cargo

A confusão ao longo desta sexta-feira 15 foi pautada, entre outras fontes, pela Rede Globo. No Jornal Hoje, que entra no ar por volta do meio-dia, a informação lida pela âncora Sandra Annenberg não combinava com a obtida pela repórter da emissora que conseguira uma sonora com o ministro Gustavo Bebbiano. Ele saia do Palácio do Planalto para o almoço, quando foi alcançado pelo microfone da Globo. Sem querer dar declarações, Bebbiano respondeu à pergunta sobre se estava mantido no cargo: “Não sei, quem sabe?”. Na apresentação da matéria, porém, Sandra leu que ele havia dito que ‘estava ministro’, numa composição estranha. Em primeiro pessoa, afinal, se diz ‘estou ministro’. Ao microfone, efetivamente, Bebbiano não admitiu que havia garantias do presidente de que seguia no cargo. A versão da manutenção de Bebbiano foi espalhada em Brasília a partir da Casa Civil, chefiada pelo ministro Onyx Lorenzoni, considerado no Congresso como um deputado no melhor estilo atrapalhado. A partir de sua versão, toda a mídia da capital aquiesceu. O erro foi grande. 

Na mídia, o único emissor a ter a informação que, ao final – e ao que parece -, era a acertada, foi Diogo Mainardi, dono do site O Antagonista. Nas primeiras horas da manhã, ele postou que Bebbiano seria exonerado na segunda-feira 18, caso não pedisse para sair do governo antes.

Até as 22 horas, sites como o G1 e o portal do jornal O Estado de S. Paulo ainda eram cautelosos diante da informação da queda do ministro. O G1 preferia dizer que a situação ‘continuava difícil’, registrando, porém, que o Bebbiano dissera a um amigo que sua situação, àquela altura, era ‘insustentável’.