Weintraub na Câmara mostrou que crise na Educação vai longe; falta de propostas e arrogância, escreve Luiz Carlos Azedo

BR: No day after à sua performance na Câmara dos Deputados, quando provocou, ofendeu e, por fim, não explicou o corte de verbas às universidades, o ministro Abraham Weintraub apontou um caminho: a crise na Educação, se depender dele, vai longe. Weintraub foi uma unanimidade às avessas, recebendo críticas da esquerda à direita sobre seus maus modos, português ruim e incapacidade de apresentar um plano para a educação brasileira.

Titular da coluna Nas Entrelinhas, o jornalista Luiz Carlos Azedo, do Correio Braziliense, apontou arrogância e falta de propostas na sabatina que durou seis horas.

“Foi pior que a encomenda”, escreve Azevedo. “O tom desafiador e a forma desrespeitosa como o ministro se comportou acirrou os ânimos e aumentou o desgaste do governo na Casa”.