Posse da Associação vitimados pela ditadura Volkswagen. Tarcisio Tadeu presidente 01.07.2019 Foto: Adonis Guerra/SMABC

Volks mostra o tamanho da crise; redução de jornada e salários por tempo indeterminado

Volkswagen vai reduzir jornada de trabalho e salários na volta dos trabalhadores das férias de dez dias que serão concedidas a partir de segunda-feira na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

A medida, comunicada na quarta-feira, 22, pelo sindicato dos metalúrgicos em assembleias internas com funcionários da montadora, se deve à falta de peças, sobretudo componentes eletrônicos, na linha de montagem. No ABC, a Volks produz os modelos Polo, Virtus, Nivus e Saveiro.© Tiago Queiroz/Estadão – 15/5/2018Fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo; empresa vai reduzir jornada de trabalho e salários na unidade. 

Por prazo indeterminado, a jornada de trabalho nas áreas de produção, que empregam 4,5 mil pessoas, será reduzida em 24%, e os salários terão um corte de 12%. O acordo trabalhista, aditado entre montadora e sindicato em 2020 e com vigência até 2025, permite à empresa adotar a medida.

Segundo o diretor administrativo do sindicato dos metalúrgicos do ABC, Wellington Messias Damasceno, a saída negociada foi a de menor impacto para os trabalhadores da fábrica e de fornecedores, já que a intenção da montadora, a exemplo do que fez no início do mês passado na unidade que produz o utilitário esportivo T-Cross no Paraná, era suspender um turno inteiro de produção.

“Negociamos a redução de jornada justamente pelo impacto que a decisão [de suspender o turno] teria. Não só para os trabalhadores na Volks, mas para toda a cadeia de produção, principalmente para os trabalhadores terceiros”, comentou o diretor do sindicato.

“Buscamos a alternativa garantida no acordo, e que não impactasse em toda a cadeia produtiva. É a melhor ferramenta que temos para o momento, que será avaliada mês a mês e pode sofrer alterações até a normalização da situação”, complementou Damasceno.