Viagem a Dallas acarretou mais desgaste a Bolsonaro: grosserias, continência à bandeira dos EUA e teorias de conspiração de sempre

BR: Na segunda viagem aos EUA desde que tomou posse, o presidente Jair Bolsonaro repetiu o gesto – feito em 2017, quando ainda era deputado – de prestar continência à bandeira americana, e adaptou seu slogan de governo, encerrando o discurso com um “Brasil e Estados Unidos acima de tudo”. A homenagem ao país de Donald Trump, no entanto, ficou pela metade. Na segunda parte, o presidente brasileiro errou a frase e, no lugar de “Deus acima de todos”, emendou: “Brasil acima de todos”.
 
Bolsonaro discursou por 11 minutos ontem, em Dallas, na cerimônia em que recebeu o prêmio Personalidade do Ano oferecido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.
 
O evento, um almoço para cerca de cem empresários, foi organizado às pressas depois que Bolsonaro cancelou a ida a Nova York, onde originalmente receberia a premiação, diante de críticas, inclusive do prefeito da cidade, Bill de Blasio, que o chamou de “perigoso”.
 
“Lamento muito o ocorrido nos últimos dias”, disse, sobre o episódio. “Não posso ir na casa de uma pessoa onde alguém da sua família não me queira bem. Mas meu amor por todo os Estados Unidos, inclusive os nova-iorquinos, continuará da mesma forma”. Na porta do evento, cerca de 20 pessoas protestavam contra a homenagem.

Bolsonaro também falou sobre as manifestações que, na véspera, levaram milhares de pessoas às ruas de mais de 250 cidades contra o bloqueio do orçamento da Educação, nas quais também se ouviram gritos de “Fora, Bolsonaro”. “A esquerda brasileira infiltrou e tomou não só a imprensa, mas também as universidades e as escolas do ensino médio de fundamental.” fffffffffffffff