“Vai me obrigar a fazer o que eu não quero”, diz Miranda, insinuando ter gravação de Bolsonaro

O deputado Luis Miranda (DEM-DF) afirma que não teme que seu relato sobre a conversa com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) seja contestado. Segundo ele, se Bolsonaro tentar contestá-lo, ele será forçado a fazer algo que não quer.© Sérgio Lima/Poder360 O servidor Luis Ricardo Miranda e seu irmão, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) em depoimento na CPI da Covid

Vamos contar com a possibilidade de o presidente voltar atrás [e desmentir a versão]. Aí ele me força a fazer o que eu não quero. É o que eu tenho a dizer”, disse em entrevista à CNN Brasil no sábado (26.jun.2021).

Miranda afirmou na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado que Bolsonaro sabia de supostas irregularidades no contrato da Covaxin com o Ministério da Saúde. O deputado, que era aliado do presidente, disse ainda que Bolsonaro suspeitou do envolvimento do líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

Apesar de sua declaração à CNN e de ter dito ao site O Antagonista que Bolsonaro terá uma “surpresa mágica” se confrontar versão sobre Covaxin, Miranda nega que tenha gravado o presidente. Mas afirma que “não estava sozinho” no dia 20 de março.