Vacina de Oxford tem efeito positivo já na 1ª dose; eficácia de 70%; “Previne internação, casos graves e hospitalização”, diz epidemiologisa brasileira

A vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, que teve uso aprovado no Reino Unido, tem eficácia em torno de 70% contra a covid-19. O dado foi divulgado pela médica epidemiologista Lily Yin Weckx, coordenadora dos testes do imunizante no Brasil.

Em novembro, a AstraZeneca anunciou que a eficácia do imunizante varia de 62% a 90%, dependendo da dosagem aplicada.

A epidemiologista disse, nesta 4ª feira (30.dez.2020) em entrevista à GloboNews, que, “[durante os testes] Não houve nenhum caso de internação ou de doença grave. Temos uma vacina que previne internação, casos graves e hospitalização“.Publicidadex

Disse também que a vacina tem eficácia já a partir da aplicação da 1ª dose (são duas). “É por isso que a estratégia que será adotada no Reino Unido, a partir de 2ª feira, é vacinar o maior número possível de pessoas do grupo de risco com uma dose e a 2ª dose dentro de 3 meses, porque a proteção já começa com uma dose“.

Segundo o governo britânico, 4 milhões de doses estarão disponíveis nos próximos dias e devem ser aplicadas em idosos. O Reino Unido contratou 100 milhões de doses do imunizante, suficientes para vacinar com duas doses quase toda sua população do território britânico (66 milhões).

A vacina da AstraZeneca/Oxford é a principal aposta do governo brasileiro, que já comprou 100 milhões de doses por R$ 1,9 bilhão. Os recursos foram liberados por meio de uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, que foi aprovada no começo do mês pelo Senado. No Brasil, a substância será produzida pela Fiocruz.