Ufa! Ronaldinho Gaúcho e Assis ganham na Justiça do Paraguai direito a prisão domiciliar; rumo a hotel quatro estrelas em Assunção

Uma audiência realizada nesta terça-feira definiu que o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, poderão ser transferidos para a prisão domiciliar. A mudança de regime foi determinada pelo juiz Gustavo Amarilla, que liberou a dupla para cumprir a medida preventiva em um hotel quatro estrelas em Assunção, no Paraguai.

Ronaldinho e Assis estavam presos no Grupamento Especializado, uma espécie de cadeia de segurança máxima para presos especiais, desde o dia 6 de março, acusados de envolvimento em esquema de produção e tráfico ilegal de documentos falsos após terem entrado no país portando passaportes adulterados no início de março.

O hotel escolhido é o Palmaroga, no centro da capital paraguaia, que fica a pouco mais de 3 km da cadeia onde a dupla estava detida há 32 dias. Segundo o ‘ABC Color’, Ronaldinho e Assis ficarão em quartos separados. A Justiça também determinou o pagamento de US$ 800 mil para cada um (cerca de R$ 4,6 milhões) como garantia de que eles não deixassem o local, e ficarão sob custódia policial permanente enquanto o processo não é concluído.

– O valor da fiança foi importante. Antes haviam apresentado como garantia uma casa que não estava nem no nomes dos dois, agora a defesa abriu uma conta corrente no nome deles e fez o depósito dos valores – afirmou um dos promotores do caso, Osmar Legal, ao ‘Globoesporte’.

Esta foi a quarta tentativa da defesa de Ronaldinho e Assis de retirá-los do Grupamento Especializado. Até o momento, 15 pessoas já foram presas, incluindo o empresário brasileiro Wilmondes Sousa, acusado de fornecer os passaportes aos irmãos.