Tudo pelo voto; PEC dos combustíveis pode ter gambiarra para elevar Auxílio Brasil a R$ 600; Bolsonaro desesperado em melhorar nas pesquisas

O líder do governo no Senado, Carlos Portinho (PL-RJ), afirmou nesta quinta-feira, 23, que há uma discussão sobre incluir um aumento do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600, até o fim do ano na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos combustíveis. A 100 dias da eleição, em que o presidente Jair Bolsonaro pretende se reeleger, o governo quer, ainda, conceder um voucher de R$ 1 mil mensais a caminhoneiros e aumentar o vale-gás a famílias de baixa renda.

Para turbinar os benefícios sociais, a ideia é, segundo o senador, retirar da PEC a compensação a Estados que reduzissem o ICMS sobre diesel e gás de cozinha e, assim, usar os recursos, em torno de R$ 30 bilhões, para bancar o pacote.

“A gente quer que chegue na ponta o benefício. Não adianta dar R$ 30 bilhões e os Estados, insensíveis à população, não zerarem [o ICMS]. Se a gente tivesse o compromisso dos Estados em zerar, talvez esses auxílios emergenciais fossem desnecessários”, afirmou Portinho.