Trump não abre pacote de estímulos e bolsas caem; dólar sobe; governo reduz projeção de crescimento do PIB de 2,4% para 2,1%; cairá mais

Os mercados globais voltam a viver um dia de perdas nesta quarta-feira, após a trégua da véspera. A expectativa frustrada de que os Estados Unidos iriam anunciar um pacote de estímulos à economia, para mitigar os efeitos do coronavírus – o que acabou não ocorrendo – levou as Bolsas americanas a abrirem em quedas superiores a 3%.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) recuava 2,58% por volta das 11h10min. O dólar volta a subir e era negociado a R$ 4,663, em valorização de 0,40%. Em Nova York, o Dow Jones recua 3,14% e o S&P, 3,03%. O Nasdaq tem perdas de 2,28%.

O governo brasileiro reviu suas projeções para o crescimento da economia este ano e, agora, estima uma alta de 2,1%. Até janeiro, a estimativa era de 2,4%. Mas muitos analistas do mercado já estimam um resultado ainda pior.

O banco UBS cortou sua previsão para o PIB brasileiro este ano de 2,1% para 1,3%, citando os impactos do surto do coronavírus e da queda no preço do petróleo. As cotações do petróleo, que tinham subido na terça-feira após o tombo recorde do início da semana, voltam a recuar nesta quarta-feira. O barril do tipo brent é negociado em queda de 2,47%, a US$ 36.

O petróleo está sob pressão desde que Rússia e Arábia Saudita iniciaram, no último fim de semana, uma “guerra de preços”. A Arábia Saudita pressionou a Rússia para reduzir produção e assim, segurar os preços do petróleo em meio à queda da demanda global por causa do coronavírus. A Rússia recusou e os sauditas revidaram ampliando produção e reduzindo preços.

— O cenário segue muito incerto. A Bolsa cai 12% num dia, sobe 7% no outro. O mercado vai continuar volátil porque ele depende de uma estabilização dos casos de coronavírus em escala global e também de medidas concretas de governos e bancos centrais para aliviar os impactos do vírus na economia — avalia Álvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais.

Após vender dólares no mercado à vista nos últimos dias, o Banco Central voltou a atuar nesta quarta-feira por meio dos contratos de swap tradicional, que é um instrumento financeiro que equivale à venda de dólares. Foram vendidos 20 mil contratos, totalizando US$ 1 bilhão.

Os investidores ficaram um pouco frustrados com a falta de um pacote mais completo de medidas fiscais nos Estados Unidos. Nesta quarta, o vice-presidente Mike Pence fez uma promessa de desonerar (cortar impostos) da folha de pagamento, sem dar mais detalhes sobre um pacote fiscal mais robusto.

Por outro lado, o Reino Unido anunciou hoje um pacote de estímulos à economia britânica e uma redução nos juros básicos do país.