The Intercept: “Jornalista que vaza não comete crime”; é Deltan falando a Moro sobre o que Moro agora refuta

Em mais uma publicação a respeito da Operação Lava-Jato, o Intercept Brasil publicou frases atribuídas ao procurador e coordenador da operação, Deltan Dallagnol, nas quais ele afirma ser “praticamente impossível” investigar jornalistas que publicam material vazado.

“Jornalista que vaza não comete crime”, teria dito em novembro de 2015 em 1 grupo chamado “PF-MPF Lava Jato 2” ao discutirem medidas para inibir vazamentos de ações da força-tarefa. As frases foram publicadas em uma newsletter (íntegra) do site divulgada na tarde deste sábado (22.jun.2019).

No texto, os responsáveis pela série de reportagens relembram ainda manifestações públicas do procurador sobre o tema. Em 2016, ele compartilhou em seu perfil no Twitter entrevista do magistrado René Dotti que, por sua vez, defendeu a divulgação de grampos telefônicos de conversas entre os ex-presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff pelo então juiz Sergio Moro.

Na avaliação de Dotti –compartilhada por Dalagnol– “no conflito entre direto à informação sobre grave crime e direito à privacidade, ganha interesse público”.