Terra sem lei; em razão de assassinatos em série, população é orientada a sair à rua com documentos; “Facilitar o trabalho da polícia”, justifica secretário de Segurança

A secretaria de Segurança de Ponta Porã (MS), cidade brasileira na fronteira entre Brasil e Paraguai, emitiu um alerta aos moradores para que andem nas ruas com documentos de identificação para “facilitar o trabalho da polícia”. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14) pelo secretário de Segurança do município, Marcelino Nunes.

Nunes frisou que andar com documentação e a apresentação aos oficiais de segurança é obrigatório. “Andar com os documentos vai facilitar tudo”. A campanha foi publicada logo depois de uma série de assassinatos que marcaram a fronteira entre os países.

LEIA TAMBÉM

Na sexta-feira (8), o vereador Farid Afif (DEM) foi executado a tiros, enquanto fazia um passeio de bicicleta por Ponta Porã. Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que o parlamentar foi assassinado. Assista ao vídeo abaixo.

Imagens de câmeras de segurança mostram execução de vereador em Ponta Porã
https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.485.1_pt_br.html#goog_556042356–:–/–:–

Imagens de câmeras de segurança mostram execução de vereador em Ponta Porãhttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Diante dos vários homicídios na região fronteiriça, incluindo do vereador, Nunes descreveu a atual situação na região de fronteira como “momento tenso”. “Aqui é costumeiro as pessoas saírem sem documentos. Qualquer atitude suspeita pode gerar uma ação enérgica em relação à polícia”, falou Nunes.

Para o secretário, Ponta Porã “sofre com os efeitos colaterais dos crimes na fronteira”. “Estamos sofrendo os efeitos colaterais. Precisamos combater estes efeitos colaterais, muitas pessoas do Paraguai, possíveis suspeitos, estão vindo para Ponta Porã, então, estamos atentos a tudo”, finalizou.

Crimes na fronteira

Somente entre a tarde de sexta-feira (8) e a manhã dessa quarta-feira, sete pessoas foram assassinadas na região em que apenas uma rua divide Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, e Pedro Juan Caballero, no departamento de Amambay.

Na sexta-feira (8), horas antes de ser assassinado, o vereador Farid Affaf pedalava por Ponta Porã.