Terra atinge Dia da Sobrecarga 1 mês antes do previsto; queima da Amazônia contribui para resultado ruim

Com quase um mês antes do previsto, a Terra chegou ao seu ‘Dia de Sobrecarga’ neste 29 de julho. Ou seja, a humanidade consumiu todos os recursos que o planeta é capaz de renovar em um ano e tudo a partir de agora já está acima do que a Terra consegue entregar sem danos.

Notícias relacionadas

O ‘Earth Overshoot Day’ voltou a acelerar já que, no ano passado, por conta da pandemia de Covid-19, a data foi registrada em 22 de agosto. Para comparação, em 1970, a humanidade atingiu o ‘Dia da Sobrecarga’ apenas em 29 de dezembro; em 2000, no início de outubro. Desde então, o consumo dos recursos naturais foram acelerados.

A data ainda é mais simbólica neste ano porque ocorre a 100 dias da COP26, o evento internacional que debaterá as mudanças climáticas e mudanças nas metas sobre o tema e que é organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU). A reunião mundial ocorre em Glasgow entre 31 de outubro e 12 de novembro.

Segundo o Banco Mundial, hoje os humanos usam recursos equivalentes a 1,7 planeta Terra e, se a aceleração continuar nesse ritmo, precisaremos de três planetas em 2050.

Entre os índices que mais agravam a situação é o aumento da chamada pegada de carbono (a quantidade de carbono emitida por combustíveis fósseis) e a diminuição da biocapacidade florestal no mundo (a habilidade da natureza se regenerar e absorver os resíduos produzidos pelos humanos).

De acordo com dados da WWF, houve uma alta de 6,6% na pegada de carbono e uma queda de 0,5% na biocapacidade florestal.

Tanto a WWF como a ONG Global Footprint Network destacam que um dos fatores que contribuiu para o adiantamento da data foi o desmatamento registrado na Amazônia – que vem batendo recordes em 2021.