RJ - ELEIÇÕES 2018/BOLSONARO/CEASA - CIDADES - O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, durante coletiva realizada na sede da Associação Comercial da Central de Abastecimento do Rio (Ceasa), em Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro. Antes da entrevista, o candidato visitou o local. 28/08/2018 - Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

“Só Deus me tira da cadeira”, diz Bolsonaro a religiosos, e completa: “Nosso exército é o povo brasileiro”

Em discurso para centenas de fiéis evangélicos na 28ª Marcha para Jesus em Curitiba, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), voltou a dizer que “só Deus” o tira da cadeira que ocupa e reforçou: “nosso exército é o povo brasileiro”. Sem citar o ministro Alexandre de Moraes, contra quem ajuizou notícia-crime por abuso de autoridade, Bolsonaro ressaltou que é sua função, como chefe do Executivo, “fazer com que todo aquele que esteja fora das 4 linhas” da Constituição “venha para dentro da mesma”.

O presidente acumula embates com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), principalmente com Moraes, a quem já chamou de “canalha”. Para ministros da Corte, as ameaças de Bolsonaro são parte de sua estratégia eleitoral.© Fornecido por EstadãoEm Curitiba, Bolsonaro disse para centenas de apoiadores que o povo é o seu ‘exército’. Foto: Lenise Aubrift Klenk/Especial para o Estadão

No discurso em Curitiba, Bolsonaro voltou a falar sobre a liberdade – tema que invocou no encontro com o bilionário Elon Musk e se tornou ainda mais presente nos discursos do mandatário depois do perdão concedido ao deputado Daniel Silveira, condenado por ameaças à democracia e incitação à violência contra ministros do STF.

“Todos nós daremos a nossa vida pela nossa liberdade. Esse é o bem maior de um país que se diz democrático”, afirmou, do alto do carro de som. “É uma missão que eu tenho. E só Deus me tira daquela cadeira. Somos democratas, respeitamos a nossa Constituição. E é um dever meu, como chefe do executivo, fazer que todo aquele que esteja fora das quatro linhas da nossa Constituição venha para dentro da mesma”, disse.