“Senti a responsabilidade de assumir esse lugar”: viúva de Marielle será candidata a vereadora pelo PSOL

Dois anos e cinco meses após o assassinato de Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, Monica Benicio, que foi companheira da vereadora, decidiu continuar seu legado e levar as próprias ideias para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Vai ser candidata a vereadora nas eleições de novembro.

“Acho importante que essa percepção de legado de Marielle seja colocada como algo coletivo. A Marielle se torna símbolo de representatividade, de resistência e de esperança porque mulheres e a sociedade se aliaram às pautas dela”, diz a arquiteta de 34 anos, pré-candidata a vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL, mesmo partido que elegeu Marielle.(…)

O que a levou a se pré-candidatar como vereadora? Confesso que essa foi uma virada de chave não desejada nem projetada por mim. Estou há dois anos e cinco meses num processo de luta, num luto muito duro, e pensava que não conseguiria avançar justamente por ficar o tempo inteiro revirando histórias e memórias, seja para pedir justiça, seja para não deixar o assunto morrer. Confesso que, no campo pessoal, não é uma tarefa fácil, porque tem muito gatilho.

Mas fui conversando com algumas pessoas, e toda solidariedade veio me compondo. Eu me senti quase com a responsabilidade de assumir esse meu lugar. Já fazia o debate político desde sempre e fui percebendo o quão importante é a gente ter hoje corpos que sofrem opressões estruturais inseridos no debate político que expulsa os corpos como o que o da Marielle simbolizava.