Sempre ele, Centrão quer aprovar transparência em orçamento secreto só a partir de agora; emendas do passado se manteriam em segredo

Líderes do Centrão estão confiantes de que o Congresso aprovará hoje o projeto determinando a divulgação, apenas daqui para a frente, dos padrinhos da indicação de recursos nas emendas de relator, relata. A cúpula do Legislativo sustenta não ser possível dar publicidade à distribuição de verbas do chamado orçamento secreto em 2020 e 2021, como determinou o STF. A proposta é para que, a partir de agora, seja preciso cadastrar a indicação de cada senador ou deputado em um sistema. O pedido seria repassado ao Poder Executivo e ficaria disponível em portais da transparência.

Relator do projeto de resolução que está na pauta de hoje, o senador Marcelo Castro afirma que seria muito demorado dar transparência aos pedidos que já foram feitos. Segundo ele, o relator do Orçamento de 2020, deputado Domingos Neto, não necessariamente ‘guardou’ a planilha referente ao ano passado, por exemplo. Já o senador Alessandro Vieira defende que é preciso dar publicidade ao que já foi indicado. “Arthur Lira e Rodrigo Pacheco escolhem mentir para o Supremo ao dizer que não podem dar publicidade ao que passou. Claro que podem, Essas planilhas de apoio político existem no Congresso e na Casa Civil”, afirmou Vieira.