Sem renúncia, Guimarães faz Bolsonaro sangrar; “Minha conduta é ética”, diz presidente da Caixa, acusado de assédio sexual por ao menos 7 mulheres

O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, fez um discurso em um evento do banco nesta quarta-feira (29), após se tornarem públicas denúncias de que ele cometeu assédio sexual contra funcionárias.

LEIA MAIS:

Em vídeo divulgado pela rádio CBN em uma rede social, Guimarães, sem se referir diretamente às acusações, disse que tem a vida “pautada pela ética”.

“Eu quero agradecer a presença de todos vocês, a minha esposa. Acho que de uma maneira muito clara… São quase 20 anos juntos, dois filhos, uma vida inteira pautada pela ética”, afirmou.

Assista abaixo ao vídeo com a fala do presidente da Caixa.https://d-19084999102888959675.ampproject.net/2206101637000/frame.htmlhttps://564f868231997dfd037ebd5a5d2ef07a.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O Ministério Público Federal (MPF) investiga denúncias de assédio sexual contra Guimarães. O caso está sob sigilo.

Ele é um dos nomes mais próximos do presidente Jair Bolsonaro, a quem costuma acompanhar em viagens e em “lives” na internet. Ele está na presidência da Caixa desde o início do governo.

À TV Globo, funcionárias da Caixa que preferem não se identificar, relataram o comportamento de Guimarães.

“Comigo foi em viagem, nessas abordagens que ele faz pedindo, perguntando se confia, se é legal. Abraços mais fortes, me abraça direito e nesses abraços o braço escapava e tocava no seio, nas partes íntimas atrás, era dessa forma”, disse uma delas.

Funcionárias denunciam presidente da Caixa Econômica por assédio sexual, diz site
https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.520.0_pt_br.html#goog_1067376127–:–/–:–

Funcionárias denunciam presidente da Caixa Econômica por assédio sexual, diz sitehttps://564f868231997dfd037ebd5a5d2ef07a.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

A TV Globo tentou contato com Pedro Guimarães, mas ainda não obteve resposta.

Ao site “Metrópoles”, a Caixa disse que “não tem