Sem meias medidas: Merkel faz Alemanha retornar ao lockdown; até, pelo menos, 10 de janeiro

Após reunião com governadores, chanceler Angela Merkel anuncia fechamento de comércio não essencial e escolas a partir desta quarta-feira. Novas restrições devem vigorar pelo menos até 10 de janeiro.© Bernd von Jutrczenka/dpa/picture alliance Merkel durante entrevista coletiva para anunciar novas medidas contra pandemia de covid-19

A Alemanha se prepara para retornar a um segundo lockdown completo. As novas restrições foram anunciadas pela chanceler federal alemã, Angela Merkel, após reunião realizada neste domingo (13/12) com os governadores dos 16 estados do país.

As medidas incluem fechamento de escolas e creches e do comércio não essencial a partir desta quarta-feira até pelo menos dia 10 de janeiro. A venda de fogos de artifício para os festejos de Ano Novo também será proibida.

Desde o começo de novembro, vigora na Alemanha um chamado “lockdown parcial” para contenção de uma segunda onda de contágio. Foram fechados restaurantes, bares, academias e áreas de lazer. Escolas, lojas e salões de cabeleireiro, entretanto, permaneceram abertos.

As medidas impediram o aumento exponencial dos casos de coronavírus, mas as cifras de infecções continuam altas no país.

Neste domingo, a Alemanha registrou 28.438 novos casos e 496 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, números que se aproximam dos recordes de sexta-feira, de acordo com informações divulgadas pelo Instituto Robert Koch (RKI), agência governamental alemã de controle e prevenção de doenças infecciosas.

Na sexta-feira, o país contabilizou 29.875 novas infecções e 598 mortes por covid-19 em 24 horas, os maiores números para ambos os indicadores desde o começo da pandemia, segundo levantamento do RKI.

Nos últimos sete dias, foram confirmados 135.944 casos na Alemanha – país mais populoso da UE, com 83,2 milhões de habitantes – elevando a incidência acumulada nesse período para o país como um todo, para 163,8 casos por 100 mil habitantes.

No total, a Alemanha registrou 1.300.516 infecções pelo novo coronavírus (1,5% da população), das quais 21.466 morreram. O RKI estima que o número de recuperados esteja em 957,5 mil pessoas, enquanto cerca de 320 mil estão atualmente infectados com a covid-19.

Lockdown parcial

No final de outubro, os estados alemães conseguiram chegar a um acordo sobre um lockdown parcial, que vigora desde o início de novembro, com o fechamento de bares, restaurantes e locais de lazer em todo o país e, em grande parte, uma limitação de encontros para membros de até dois domicílios. Comércio e escolas permaneciam abertos.

Mas as medidas não conseguiram controlar a segunda onda de infecções na maior economia da Europa. Autoridades de saúde alertam sobre a diminuição de leitos nas unidades de terapia intensiva – apesar de a Alemanha ser líder mundial em capacidade de UTI – e que hospitais em algumas regiões estão chegando a seus limites. Algumas administrações estaduais começaram a intensificar as restrições.