Santa Cruz a Guilherme Amado sobre ataque de Bolsonaro: “Chorei. É difícil o sentimento de ter um pai que desapareceu”

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil


Felipe Santa Cruz chorou na segunda-feira, 26, ao tomar conhecimento das frases de Jair Bolsonaro sobre seu pai, o estudante de direito Fernando Santa Cruz, desaparecido em fevereiro de 1974. Santa Cruz estava em Fortaleza, para onde havia viajado para assistir a uma apresentação teatral de sua filha, que é atriz, escreve o colunista Guilherme Amado, da revista Época.

Em conversa com a coluna, Santa Cruz falou sobre o episódio, e disse que a dor que Bolsonaro lhe causou não afetará sua independência e equilíbrio no comando da OAB.

Como o senhor recebeu a notícia de que o presidente pôs em xeque a forma como seu pai desapareceu?

Foi difícil. Senti que foi um golpe abaixo da cintura.

O senhor chorou no momento?

Chorei. Nunca foi fácil para mim tratar desse assunto. Ao longo da minha carreira, me esquivei do tema. Sempre que falo sobre isso, eu choro. É difícil o sentimento de ter um pai que desapareceu.

Como estão sendo esses dias?

Difíceis. Entrei em alguns grupos de WhatsApp país afora. Estou sendo massacrado por informações falsas. Há uma milícia virtual que cria coisas ao meu respeito para atacar minha honra.

A OAB decidiu não pedir o impeachment do presidente, embora alguns críticos tenham dito que se trata de quebra de decoro. Por quê?

Não vimos razão para isso. O fato que ocorreu não vai fazer com que eu perca meu equilíbrio e independência. Ele é o presidente da República, é uma instituição.