Rússia revisa dados de Covid-19 e passa a ser 3º país do mundo em mortes, atrás de EUA e Brasil; 186 ml óbitos

O Rosstat, o Serviço Federal de Estatísticas da Rússia, informou no fim da noite desta segunda-feira (28) que cerca de 186 mil russos morreram por covid-19 entre janeiro e dezembro, um número mais de três vezes maior do que os dados oficiais, que apontam 55 mil falecimentos. Só no último mês, foram 26 mil óbitos pela doença.

Segundo o órgão, que é uma espécie de IBGE russo, o país contabilizou um “excesso de mortes” de 229.700 em 2020. Esse “excesso” representa uma quantidade maior de óbitos na comparação com o mesmo período do ano anterior.

A vice-premiê do país, Tatiana Golikova, confirmou que “mais de 81% das mortes em excesso” foram causadas pelo coronavírus Sars-CoV-2.

Com os dados atualizados, a Rússia se torna o terceiro país do mundo com maior quantidade de óbitos na pandemia, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (335.208) e do Brasil (191.570). No entanto, o site da Universidade Johns Hopkins, que compila os dados desde janeiro, ainda mantém os russos na oitava posição, com as 55.017 falecimentos.

Os números reais da pandemia de covid-19 na Rússia são questionados desde o início da crise sanitária por uma suposta ocultação do governo de Moscou.

No início de outubro, o Rosstat já havia divulgado números maiores de vítimas do que os oficiais. À época, o órgão informou que eram 45.663 os mortos quando o governo divulgava 21.375.