Recuo corajoso; na véspera de fechamento de comércio para conter Covid-19, BH tem filas para compras

A chuva que atinge Belo Horizonte neste sábado (9) não foi suficiente para deixar as pessoas dentro de casa nesta manhã. No último dia de funcionamento do comércio antes começar a valer o novo decreto que restringe abertura de lojas e outros serviços na capital, os consumidores pularam cedo da cama para resolver pendências e garantir as últimas compras.

Antes mesmo das 9h, belo-horizontinos já faziam filas no Centro esperando as lojas abrirem. Muitos foram às ruas na tentativa de trocar os presentes de natal.

E com a combinação de chuva e comércio movimentado, o trânsito também ficou carregado nesta manhã em áreas como o Centro e Savassi.

O vigia David Correia Araújo estava na fila de uma loja de eletrodomésticos desde as 8h30. Ele foi acompanhar um colega que pretende comprar uma televisão. O vigia se preocupa com os possíveis impactos do novo decreto.

“Eu fico chateado porque eu estou trabalhando, mas quem precisa do trabalho e tem família para cuidar? Eu acho que é um desrespeito muito grande. Apesar que o ser humano não está cumprindo com a obrigação de usar máscara e outras coisas mais”, disse.

Este sábado (9) é o último dia de funcionamento do comércio antes do novo fechamento de BH — Foto: Camila Falabela/TV Globo

Este sábado (9) é o último dia de funcionamento do comércio antes do novo fechamento de BH — Foto: Camila Falabela/TV Globo

De volta à estaca zero

Conforme anunciado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) na quarta-feira (6), Belo Horizonte vai restringir o funcionamento do comércio às atividades essenciais (veja a lista completa ao final do texto). O decreto que leva a capital à “estaca zero”, de acordo com Kalil, foi publicado na edição desta sexta-feira (8) do Diário Oficial do Município e entra em vigor na segunda-feira (11).

Além dos serviços essenciais, o prefeito também disse que praças públicas permanecerão abertas, ao contrário do que aconteceu no início do ano passado com cinco grandes praças, assim como os parques públicos e o zoológico da cidade, com visitas agendadas previamente.

Além disso, qualquer estabelecimento pode funcionar no sistema de delivery e de drive-thru, além de retirada na porta, no caso de bares e restaurantes.

O que pode funcionar?

Veja quais são os serviços considerados essenciais pela prefeitura, e que poderão se manter em funcionamento, a partir de 11 de janeiro e enquanto durar a quarentena:

  • Padaria (de 5h às 22h)
  • Comércio varejista de laticínios e frios (de 7h às 21h)
  • Açougue e Peixaria (de 7h às 21h)
  • Hortifrutigranjeiros (de 7h às 21h)
  • Minimercados, mercearias e armazéns (de 7h às 21h)
  • Supermercados e hipermercados (de 7h às 22h)
  • Artigos farmacêuticos (sem restrição de horário)
  • Artigos farmacêuticos, com manipulação de fórmula (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de artigos de óptica (sem restrição de horário)
  • Artigos médicos e ortopédicos (sem restrição de horário)
  • Tintas, solventes e materiais para pintura (de 7h às 21h)
  • Material elétrico e hidráulico, vidros e ferragem (de 7h às 21h)
  • Madeireira (de 7h às 21h)
  • Material de construção em geral (de 7h às 21h)
  • Combustíveis para veículos automotores (sem restrição de horário)
  • Peças e acessórios para veículos automotores (de 8h às 17h)
  • Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo – GLP (sem restrição de horário)
  • Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista listado nesta relação (5h às 17h)
  • Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários (sem restrição de horário)
  • Casas lotéricas (sem restrição de horário)
  • Agência de correio e telégrafo (sem restrição de horário)
  • Comércio de medicamentos para animais (sem restrição de horário)
  • Atividades de serviços e serviços de uso coletivo, exceto os especificados no art. 2º do Decreto nº 17.328, de 8 de abril de 2020 (sem restrição de horário)
  • Atividades industriais (sem restrição de horário)
  • Restaurantes, desde que em sistema de delivery ou retirada na porta (sem restrição de horário)
  • Banca de jornais e revistas (sem restrição de horário)
  • Atividades acima, em funcionamento no interior de shopping centers, galerias de loja e centros de comércio (deverão ser observados os horários de cada atividade)
  • Praças públicas
  • Parques públicos e zoológico (desde com agendamento prévio).