Recorde; Alertas de desmatamento na Amazônia somam 8,7 mil km² no 1º semestre; 2ª pior marca em 5 anos; destruição feroz

O acumulado de alertas de desmatamento em 2021 na Amazônia foi de 8.712 km², segundo dados divulgados nesta sexta-feira (6) pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe). É a segunda pior temporada em cinco anos, faltando um dia para fechar o ciclo, que vai de agosto de um ano a julho do ano seguinte (os dados disponíveis vão até o dia 30 de julho).

A medição do desmate no Brasil considera sempre a temporada entre agosto de um ano e julho do ano seguinte por causa das variações do clima. Com essa divisão do tempo, os pesquisadores conseguem levar em conta o ciclo completo de chuva e seca no bioma, analisando como o desmatamento e as queimadas na Amazônia oscilaram dentro dos mesmos parâmetros climáticos.

De agosto de 2020 até o dia 30 de julho deste ano, houve alerta de desmatamento de 8.712 km² de área da floresta, uma área que equivale a mais que cinco vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Entre agosto de 2019 e julho de 2020, esse número tinha ficado em 9.216 km².

Veja a comparação com as outras temporadas:Áreas da Amazônia sob alerta de desmatamento (em km²)5.3775.3774.6394.6394.5714.5716.8446.8449.2169.2168.7128.712Ago 2015-Jul 2016Ago 2016-Jul 2017Ago 2017-Jul 2018Ago 2018-Jul 2019Ago-2019-Jul 2020Ago-2020-Jul 2021010k2,5k5k7,5kFonte: Deter/TerraBrasilis/Inpe/MCTIC

Mesmo com a redução de 5% entre uma temporada e outra, o número continua alto, observam entidades ligadas ao meio ambiente.

“Os três recordes da série foram batidos no governo Bolsonaro, no qual os alertas são 69,8% maiores que a média dos anos anteriores. O resultado indica que o desmatamento anual deverá, pela terceira vez, ficar próximo de 10 mil km², o que não ocorria desde 2008”, alerta o Observatório do Clima.

“Apesar da redução entre um ano e outro de 5%, seguimos em níveis altíssimos de desmatamento na Amazônia”, afirma o diretor-executivo do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), André Guimarães. “Estamos em um momento crucial para o equilíbrio climático do planeta, e manter as florestas é a principal contribuição que o Brasil pode dar neste momento a esse desafio global.”

No acumulado do mês, houve queda na comparação entre julho de 2021 e 2020. No ano passado, os dados apontavam 1.654 km² de áreas com alertas de desmate. Em 2021, o total foi de 1.416 km².

A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro, e engloba a área de 8 estados (AcreAmapáAmazonasMato GrossoParáRondôniaRoraima Tocantins) e parte do Maranhão.