Receita liberal de Guedes faz cópia de medidas tomadas por Dilma e Temer

BR: Subitamente mais humilde, mudança explicada pelo recuo em 0,2% do PIB do primeiro trimestre, que constatou a estagnação da economia, o ministro Paulo Guedes também está menos liberal. Ao anunciar a autorização, em breve, de saques do PIS e do FGTS, com o objetivo de estimular o consumo das famílias, ele repete o que já foi tentado nos governos de Dilma Rousseff e Michel Temer, o primeiro considerado intervencionista e esquerdista o segundo chamado de ortodoxo e de centro. Para quem apregoa um modelo de direita e conservador, com ausência de ação do Estado sobre os agentes econômicos, a repetição da fórmula é um atestado de que as propostas da atual equipe econômica que ele lidera não contemplam uma estratégia para o curto prazo, tendo de requentar as antigas.

Ao voltar ao passado de tentativas de estimular o consumo pela injeção de dinheiro na economia, que sua equipe já chama de ‘balão de oxigênio’, Guedes mostra não ter cartas para baixar além das já apresentadas: as reformas e as privatizações.

O problema é que esse binômio tende a mostrar seus efeitos positivos apenas no médio e longo prazos, mas é incapaz de superar o muro da realidade objetiva e imediata, do aqui e agora, que mostra um País com mais de 13 milhões de desempregados e crescimento nos níveis de pobreza e disparidade social. O liberalismo de Guedes está mostrando que não tem o que dizer para orientar a sociedade a desviar desse paredão.

Nos próximos momentos, a seguir a tendência de dirigir a economia olhando pelo retrovisor e copiando o que já foi tentado, Guedes poderá ser visto partindo para subsidiar setores econômicos ou até mesmo flexibilizar a responsabilidade fiscal para seguir inflando o balão de emergência. Não há sinais de que o capitão Bolsonaro e seu imediato Guedes no comando da nave brasileira saibam bem o que fazer de pronto para tirar o País da rota da recessão, além de culpar o passado pelo desastre iminente – o mesmo passado que já se começa a copiar.