Prisão e afastamento de Robson Andrade obrigam CNI a convocar eleição; Paulo Skaf entra no páreo

BR: Preso por um dia, nesta semana, pela Operação Fantoche, da Polícia Federal, o líder patronal Robson Andrade está afastado da presidência da Confederação Nacional da Indústria e sem condições de reassumir o cargo pelos próximos 90 dias. Além dele, outros diretores da entidade que também foram presos enfrentam o mesmo impedimento.

Diante dessa situação, e por força do estatuto da entidade, a CNI teve de convocar eleição para a escolha de novo presidente, a ser realizada na terça-feira 26. Apenas três dirigentes estão aptos a concorrer: Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e seus colegas Paulo Afonso Ferreira, de Goiás, e Glauco Côrte, de Santa Catarina. O colégio eleitoral é formado pelos presidentes das federações da indústria dos 27 estados brasileiros.

Representando São Paulo, Skaf pode ser considerado favorito na disputa, mas ele já enfrenta uma oposição de peso: o próprio Robson Andrade. Os dois são antigos desafetos, não se falam e nem se cumprimentam. Para impedir a ascensão de Skaf, Andrade realizou nesta sexta-feira 22 uma reunião com dirigentes de entidades industriais em sua casa, em Brasília, para barrar nas urnas o nome de Skaf. O presidente da Fiesp, por seu lado, vê a sorte lhe sorrir com a prisão, apesar da soltura no mesmo dia, e o impedimento temporário de Andrade. Ele já articula com outros presidentes de federações sua chegada ao poder.A eleição da terça 26 vai mostrar quem tem mais forças nos bastidores da conturbada CNI.