PF apreende R$ 100 mil em dinheiro, jóias e obras de arte em casa de desembargadora presa na Bahia

Agentes da Polícia Federal (PF) encontraram cerca de R$ 100 mil em dinheiro, além de joias e obras de arte no apartamento da desembargadora do TJBA (Tribunal de Justiça da Bahia) Maria do Socorro Santiago. A informação foi revelada pelo blog do jornalista Fausto Macedo.

A magistrada é ex-presidente da corte estadual e foi presa na sexta-feira (30/11/2019) na segunda fase da Operação Faroeste, da Polícia Federal, que investiga um suposto esquema de venda de decisões judiciais.

O dinheiro foi encontrado no guarda-roupas de Maria do Socorro. Eram R$ 56 mil, 9 mil euros (R$ 42 mil) e US$ 200 (R$ 847). Também foi apreendido um “grande estojo do tipo mostruário com adornos femininos, contendo colares, anéis, relógios, brincos”. De acordo com a Procuradoria, havia três relógios que estampavam a marca Rolex e um colar de ouro de “aparente alto valor de mercado”.

Segundo a procuradoria, os “inúmeros quadros de artistas baianos e de outras regiões do Brasil” encontrados não foram apreendidos. Alguns ainda estavam embalados.
Além das buscas na casa da desembargadora, agentes também fizeram buscas em seu gabinete e encontraram sete canhotos de cheques que indicavam pagamentos aos artistas plásticos Tati Moreno e Sérgio Amorim. O gabinete de Maria do Socorro é decorado com obras de arte, como as de S. Amorim e Bel Borba.

A PF ainda apreendeu boletos de IPTU de imóveis em locais como Canela, Flamengo e Praia do Forte. Os investigadores não explicam se se trata da cidade gaúcha, do bairro carioca e da praia com condomínios de luxo no litoral norte da Bahia.