Pesquisa XP: mercado financeiro corta apoio a Bolsonaro; ótimo/bom despenca de 86% em fevereiro para 14% agora, mergulho de 72 pontos em 3 meses

BR: Os agentes do mercado financeiro estão absolutamente frustrados com a postura e a gestão, até aqui, do presidente Jair Bolsonaro. E não de trata de uma impressão empírica, mas sim do resultado de pesquisa da corretora XP, feita exclusivamente com integrantes dessa poderosa comunidade.

De fevereiro a maio, a avaliação de que o governo é ‘ótimo/bom’ despencou de 86% de respostas positivas para 14% agora, um mergulho de 72 pontos.

Por outro lado, a taxa de ‘ruim/péssimo’ apurada entre agentes do mercado financeiro disparou de um ínfimo 1% para um robusto (e preocupante para o presidente) 43% agora.

A classificação ‘regular’, que costuma aglutinar opiniões em migração de um extremo a outro, subiu de 13% em fevereiro para mais um 43% neste momento.

Falta de foco e empenho na reforma da Previdência, somada à desarticulação política do governo no Congresso, foram as principais justificativas encontradas pela Pesquisa XP entre os agentes do mercado financeiro.

Eleito com apoio maciço de banqueiros e empresários, Bolsonaro está perdendo os primeiros.