Perspectiva de vitória de Biden faz ações subirem em Wall Street; democratas podem retomar controle do Senado e manter maioria na Câmara

Nos Estados Unidos, as ações subiram nesta segunda-feira, um dia antes do dia da eleição. Segundo a CNN Business, Wall Street espera que Joe Biden ganhe a Presidência e os democratas retomem o Senado e mantenham o controle da Câmara.

O Dow e o S&P fecharam em alta, com o Nasdaq registrando ganhos menores.

O Dow Jones Industrial Average subiu 402,96 pontos, ou 1,52%, para 26.904,56.  Já o S&P 500 ganhou 37,33 pontos, ou 1,14%, indo a 3.307,29. E o Nasdaq Composite adicionou 35,88 pontos, ou 0,33%, chegando a 10.947,47.

Manhã com altas

Os principais índices de ações abriram em alta em Nova York, refazendo algumas das perdas da semana passada, a pior desde março.

Pela manhã, os índices avançavam mais de 1%. Por volta das 15h30m, o Dow Jones subia 0,94%, e o S&P 500, mais amplo, 0,57%. A Bolsa eletrônica Nasdaq, que chegou a ter alta de 1,4%, inverteu a tendência e caía 0,38%.

Embora as ações normalmente favoreçam as políticas republicanas, os investidores estão ávidos por mais estímulos fiscais, que serão necessários em uma segunda onda de Covid-19. Os investidores preveem que uma “onda azul” aumentará as chances de um acordo abrangente de estímulo ser aprovado.

BDR:Apple lidera apetite de pequenos investidores por ações de empresas estrangeiras

“Se as pesquisas estiverem quase certas, Joe Biden vai ganhar a eleição confortavelmente e saberemos disso antes da meia-noite de amanhã”, afirmaram em relatório a investidores Andy Laperriere e Don Schneider da Cornerstone Macro.PUBLICIDADE

Mesmo que as pesquisas estejam erradas, as evidências ainda apontam para uma vitória de Biden, acrescentaram. Segundo a consultoria PredictIt,  há 65% de probabilidade de  vitória de Biden.

Veja também:Garantia do Tesouro destrava crédito e favorece a retomada das pequenas empresas

“Temos enfatizado que o resultado do Senado é importante para a trajetória da política fiscal”, disse o economista do Citi, Andrew Hollenhorst, em uma nota a clientes.

O economista destaca ainda que embora nenhuma das partes provavelmente obtenha uma maioria à prova de obstrução, de modo que a cooperação bipartidária ainda pode ser necessária para a próxima conta de estímulo.

Mercado:Arezzo pretende ir às compras novamente após aquisição da Reserva

“Em qualquer cenário eleitoral, esperamos um pacote fiscal de US $ 1,5 trilhão, possivelmente logo após as eleições”, disse Hollenhorst.

O Congresso americano, lembra a CNN, está preso na negociação de um segundo acordo de estímulo desde meados do ano.

Milhões de americanos ainda precisam dos benefícios do governo para sobreviver, e isso é uma má notícia porque a economia dos EUA depende muito dos gastos do consumidor.

Analistas da Goldman Sachs esperam que os gastos do consumidor diminuam nos próximos meses por causa da segunda onda da Covid-19 que está mantendo as pessoas em casa e qualquer novo pacote de estímulo provavelmente levará até 2021 para fazer efeito.

Nesta segunda-feira, o Institute for Supply Management informou que a indústria americana se saíram melhor do que os economistas previram em outubro. O índicede compras do setor subiu para 59,3 pontos, ante 55,4 pontos em setembro. Qualquer valor acima de 50 denota um crescimento do setor.