Perdido entre Bolsonaro e o mercado, Guedes ganha sustentação de militares para se manter no governo; mas tem de fazer o que o presidente mandar

Paulo Guedes tem recebido apoio dos militares do Palácio do Planalto. O ministro da Economia está na mira da ala política do governo, mas o grupo verde oliva quer que ele seja mantido no cargo. Eles impõem uma condição, entretanto.

A cobrança dos militares é que Guedes não abra mão dos programas sociais. É consenso entre eles que a reeleição do presidente depende disso e da retomada da economia. A ideia é investir no Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família, segundo a coluna de Bela Megale no Globo.

“Paulo Guedes precisa amolecer 10% do coração, com foco nos programas sociais”, diz ministro da ala militar.

Anúncio de Guedes cancelado

Nesta terça (20), foi cancelado o evento que aconteceria no Palácio do Planalto para anunciar o programa. Seria anunciado um valor de aproximadamente R$ 400 por família. Os recursos, entretanto, não respeitariam o teto de gastos e o anúncio foi cancelado.

Em parte, o recuo também ocorreu após a má repercussão do programa no mercado. O Executivo avaliou que o setor financeiro estaria preocupado com a deterioração da situação fiscal do país. Outro fator foi a pressão de Guedes e de sua equipe, com ameaça de membros da Economia de deixar a pasta.