Pena e humilhação; por violência sexual, príncipe Andrew perde títulos militares e não poderá mais ser chamado de alteza; 3º filho da rainha Elizabeth, da Inglaterra; lei para todos

O príncipe Andrew, terceiro dos quatro filhos da rainha Elizabeth II, do Reino Unido, perdeu seus títulos militares e não será mais chamado de alteza.

O anúncio foi feito pelo Palácio de Buckingham, nesta quinta (13), um dia após a Justiça americana recusar um pedido para arquivar um processo em que ele é acusado de agredir sexualmente uma mulher que, na época, tinha 17 anos.

Em uma nota, a Coroa disse que, “com o aval e endosso da rainha, as filiações militares e associações reais do duque de York serão devolvidas”, usando o título oficial do príncipe de 61 anos. O comunicado diz ainda que ele continuará afastado das atribuições públicas. Ele ainda responderá à ação nos Estados Unidos como um civil.https://93fad940b23beb747a7da5abef70805b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Ele também não usará mais o título “Sua Alteza Real” e suas antigas atribuições serão distribuídas entre outros integrantes da família real. Com informações da BBC.

Leia também:

1; Especialistas criticam decreto de Bolsonaro sobre cavernas

2; PIB do Brasil terá a 3ª menor expansão do mundo em 2022https://93fad940b23beb747a7da5abef70805b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

3; Vacina brasileira contra a Covid-19 começa a ser testada na Bahia

Príncipe Andrew x Justiça

Na quarta-feira, o juiz distrital de Manhattan, Lewis Kaplan, rejeitou a petição dos advogados do príncipe britânico para que fosse arquivada a ação civil movida contra ele pela advogada americana Virginia Giuffre.

Ela abriu o processo contra Andrew em agosto do ano passado. Andrew foi acusando de forçá-la a fazer sexo em 2001, quando ainda era menor de idade.https://93fad940b23beb747a7da5abef70805b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

De acordo com Kaplan, é prematuro considerar a ofensiva do príncipe para pôr em dúvida as alegações de Giuffre de que ele a agrediu e intencionalmente lhe causou sofrimento emocional. Segundo o juiz, Andrew, que nega as acusações, terá a oportunidade de provar sua alegação em um julgamento.