Pelosi bloqueia usa de armas nucleares por Trump; democrata diz ter ligado pera chefe militar dos EUA com ponderações para impedir presidente de usar bombas; golpista ensandecido na Casa Branca

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, disse hoje ter conversado com um líder militar de alto nível para garantir que Donald Trump não use códigos nucleares e alertou que o Congresso agirá se o presidente não renunciar voluntariamente.

“Esta manhã falei com o presidente do Estado-Maior Conjunto, Mark Milley, para discutir as precauções disponíveis para evitar que um presidente instável inicie hostilidades militares ou acesse códigos de lançamento e ordene um ataque nuclear”, disse Pelosi em um texto ao seu colegas democratas no Congresso.

O presidente deve transmitir o poder a Joe Biden em 20 de janeiro, mas a tensão – em meio à recusa de Trump em reconhecer sua derrota e a violência recente de seus apoiadores no Congresso – ficou mais do que clara na conversa entre Pelosi e o líder militar.

O porta-voz de Milley, coronel Dave Butler, confirmou à AFP a ligação de Pelosi a seu chefe, mas não deu detalhes sobre o que foi discutido entre eles. Ele simplesmente disse que Milley havia “respondido às suas perguntas sobre a cadeia de comando nuclear”.

“A situação com este presidente desequilibrado não poderia ser mais perigosa”, continuou Pelosi, prometendo que o Congresso tomará “medidas” se Trump “não deixar o cargo iminente e voluntariamente” ou se o vice-presidente Mike Pence não iniciar o processo que permite ao gabinete remover o presidente.

Artigos para eventual impeachment já foram redigidos, mas ainda não foram submetidos.

No entanto, o líder da minoria republicana na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, rejeitou um eventual impeachment contra Trump, dizendo que isso “apenas dividirá ainda mais” o país.

McCarthy, um dos mais poderosos legisladores leais a Trump, disse em uma declaração que procurou o presidente eleito Biden na sexta-feira para “falar com ele sobre como devemos trabalhar juntos para acalmar as coisas e unir o país para resolver os desafios dos Estados Unidos”.