Guedes inaugura balcão de negócios e condiciona R$ 6 bi a prefeitos e governadores a apoio à reforma; ‘velha política’ em sua melhor forma…

BR: Com a arrogância típica de um bravateiro contumaz, o ministro da Economia, Paulo Guedes, rasgou a fantasia do conceito de ‘nova política’ do governo Bolsonaro e instalou o balcão de negócios para aprovação da reforma da Previdência. Guedes disse que vai dar R$ 6 bilhões para prefeitos e governadores conforme seu apoio e votos conseguidos no Congresso para a aprovação da PEC da Previdência.

Não se trata de um mensalão, pois o negócio é oferecido com uma transparência que resvala na humilhação a prefeitos e governadores, que estão com o pires na mão. Mas é uma compra de votos clara e explícita.

Guedes disse, segundo as agências de notícias, que uma das linhas que o governo trabalha para ajudar os governos regionais é antecipar recursos do leilão do pré-sal, que será realizado em outubro. “Estamos falando de, no mínimo, R$ 4 bilhões podendo chegar a R$ 6 bilhões uma possível antecipação da cessão onerosa. Depende da capacidade de aprovação das reformas”, afirmou, após participar de reunião com senadores.

Neste mês, depois de seis anos de negociação, a União fechou os termos da revisão do contrato com a Petrobrás e pagará US$ 9,058 bilhões à estatal, aproximadamente R$ 33,6 bilhões.

Em declaração que beira à chantagem, Guedes disse que só pode fazer “movimentos” de ajuda aos governadores se tiver garantia de que as reformas serão aprovadas. “Sem as reformas, a União também está em dificuldades, e aí é um abraço de afogados, vai ajudar Estados e municípios como?”, afirmou. “Estamos estudando isso e já guardando recursos da cessão onerosa para liberar caso a coisa indique que será tudo aprovado.”