Ouve-se, finalmente, uma crítica de Alckmin a Bolsonaro; “Não se faz programa de governo em cima de motociata ou jet ski”; vice light

Nesta terça-feira (21), O pré-candidato à vice-Presidência da República na chapa de Lula (PT), Geraldo Alckmin, disse durante um evento que divulgou o programa de diretrizes da chapa para um hipotético governo a partir de 2023, que não é possível planejar um plano de governo democrático excluindo a participação popular, fazendo uma referência ao atual presidente, Jair Bolsonaro (PL).

“Não se faz um programa de governo democrático em cima de motociata e jet ski”, afirmou Alckmin. “É preciso ouvir a população e dialogar”.

O ex-governador de São Paulo também pontou a necessidade de uma reconstrução completa no país, reiterando que ele ficou destruído nos últimos anos, e disse que é preciso haver um compromisso com aqueles que mais precisam.

“Tivemos um verdadeiro desmanche do Estado em todas as áreas, quase um processo de destruição: saúde, educação, cultura, meio ambiente, cultura e direitos humanos” disse o pré-candidato à vice-Presidência, que continuou: “O primeiro compromisso é aquele com quem mais necessita, com quem perdeu o emprego, com quem passa fome e com quem foi levado de volta para a miséria”.

O ex-governador chegou a criticar novamente o atual governo, e reforçou os tempos em que o ex-presidente Lula (PT) estava no poder.

“Este triste presidente será o único da história que deixará como legado um salário mínimo menor, em termos reais, do que quando entrou” […] “Com o presidente Lula, o salário mínimo valorizou 74%. Hoje, mais de 70% dos aposentados e pensionistas do INSS ganham um salário mínimo. Isso sem mencionar a situação dos trabalhadores”.