Otto Alencar: “Bolsonaro jogou com a imunidade de rebanho”; senador da CPI da Covid chama estratégia de “irresponsabilidade criminosa”

Médico e integrante da CPI da Covid, o senador Otto Alencar afirma em entrevista ao Globo que o governo federal atuou com “irresponsabilidade criminosa” ao insistir na recomendação de remédios ineficazes como a cloroquina. “Tudo indica que Bolsonaro jogou com essa possibilidade da imunidade de rebanho, que é uma coisa criminosa”, disse. “Por isso, ele descartou a vacina no ano passado, ironizou a CoronaVac, criou dificuldades diplomáticas com a China e apostou em medicações que não tinham nenhum efeito relacionado à doença”, agregou. “Semana passada, eles (bolsonaristas) tentaram desqualificar a vacina, dizendo que pessoa que tomaram a vacina morreram. É de uma irresponsabilidade criminosa.”

Já há elementos para responsabilizar o presidente?

“Avançamos muito nisso, sobretudo com uma declaração da doutora Mayra Pinheiro (secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde). Em um vídeo, ela fala em imunidade de rebanho das pessoas. E ela era até hoje a principal interlocutora do presidente da República. É uma confissão de culpa.” Para o senador, o ex-ministro Eduardo Pazuello tem responsabilidade sobre as mortes por Covid-19 no Brasil. “Ele pecou por ação, porque a ação foi errada, o uso do tratamento precoce. E por omissão, por não comprar as vacinas, seguindo a orientação do presidente Jair Bolsonaro.”