Odebrecht tira de Marcelo R$ 52 milhões em bônus; Justiça anula contrato; empreiteira rica hoje tem R$ 98,5 bilhões em dívidas

A Odebrecht conseguiu a anulação de um contrato que prometia o pagamento de um bônus de R$ 52 milhões ao ex-executivo Marcelo Odebrecht. Os valores seriam referentes a serviços prestados pelo herdeiro do conglomerado entre 2013 e 2015, quando ocupou a presidência do grupo. A decisão é da juíza Fernanda Cristina da Silva Ferraz Lima Cabral, da 1ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem do TJSP. Com o desfecho, Marcelo torna-se devedor da empreiteira que comandou ao lado do pai por sete anos.

Em sua decisão, a juíza afirmou que o contrato deveria ter sido aprovado posteriormente à assinatura pelo Conselho de Administração ou contar com autorização de uma assembleia geral de acionistas, o que não ocorreu, tornando-o passível de nulidade. Com dívidas estimadas em R$ 98,5 bilhões, a recuperação judicial da Odebrecht, hoje chamada Novonor, tornou-se a maior da história do Brasil.