O Globo: em editorial, jornal chama Bolsonaro de autoritário, vingativo e patrimonialista por usar MP para prejudicar mídia impressa financeiramente

BR: Em editorial publicado em sua edição desta quarta-feira 7, O Globo rebate a medida provisória que desobriga empresas a publicarem seus balanços em jornais de grande circulação taxando-a de vingativa.

Acompanhe:

O difícil convívio do autoritarismo com a liberdade de imprensa

O presidente Bolsonaro, que desde deputado nunca serviu de modelo de tolerância, deu ontem uma demonstração de até onde vai sua incompreensão da liberdade de imprensa. Ao criticar o jornal ‘Valor Econômico’, do Grupo Globo, citando a publicação de uma entrevista na campanha que na verdade não concedeu Bolsonaro citou medida provisória que editara na véspera. O texto acaba com a obrigatoriedade das empresas veicularem balanços em jornais. Bolsonaro usou a MP para alterar a Lei 13.818, recém-sancionada por ele, sobre o regime simplificado de publicações de sociedade anônima, para praticar essa retaliação. Bem no figurino de governantes autoritários. O presidente também aproveitou para criticar O Globo por extensa reportagem sobre a ampla prática de nepotismo pelo clã Bolsonaro. O presidente preferiu atacar usando instrumentos feitos para governar. Usou uma MP para vingança pessoal contra a imprensa. No mínimo, é má aplicação do poder de governo. Exemplo típico de patrimonialismo, o uso de recursos públicos para fins privados.