No discurso de 200 dias, Bolsonaro investe contra filme Bruna Surfistinha: “Não posso admitir”

BR: O presidente Jair Bolsonaro escolheu o tema da moral e dos costumes em um trecho de seu discurso, no Palácio do Planalto, no final da tarde desta quinta-feira 18. E investiu, neste sentido, contra um produção nacional de cinema que arrebatou milhões de espectadores, financiada, em parte, pela antiga Lei Rouanet.

“Não posso admitir que se faça um filme como Bruna Surfistinha”, discursou o presidente, explicando que, para ele, o enredo “falta com respeito às famílias”. Ele deu detalhes sobre sua indignação com a produção nacional, que teve a atriz Debora Secco no papel principal:

“Com o Osmar Terra (ministro da Cidadania) fomos a um canto e nos acertamos”, contou Bolsonaro ao presentes à cerimônia pelos 200 dias de sua gestão. “Eu não posso admitir que com o dinheiro público se faça um filme como Bruna Surfistinha. Não temos problema com essa opção ou aquela. O ativismo que não podemos permitir, em respeito às famílias”, completou, justificando sua frustração.

E você? Qual a sua opinião sobre a posição do presidente?