Na Indonésia, eficácia da CoronaVac cai para 65,8%; no Brasil, atingiu 100% contra mortes e casos graves

A Indonésia informou nesta segunda-feira (11) que a CoronaVac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac, teve 65,3% de eficácia segundo os resultados preliminares da última fase de testes do imunizante contra a Covid-19 no país.

A vacina também é testada no Brasil, em parceria com o instituto Butantan, e sua eficácia foi de 78% para casos leves e de 100% contra mortes, casos graves e internações nos voluntários vacinados que foram contaminados.

A taxa de eficácia é um conceito que se aplica a vacinas em estudos e representa a proporção de redução de casos da doença contra a qual ela quer proteger entre o grupo vacinado comparado com o grupo não vacinado.

Na prática, se uma vacina tem 78% de eficácia para casos leves, isso significa dizer que 78% das pessoas que tomam a vacina ficam protegidas contra aquela doença. A taxa mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 50%.

O Butantan solicitou na quinta-feira (7) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a aprovação do uso emergencial do imunizante no país. A Anvisa, no entanto, diz que o instituto apresentou nesta quinta-feira (7) informações referentes a eficácia e segurança da vacina, mas que ainda não houve a submissão do pedido.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

A Indonésia informou nesta segunda-feira (11) que a CoronaVac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac, teve 65,3% de eficácia segundo os resultados preliminares da última fase de testes do imunizante contra a Covid-19 no país.

A vacina também é testada no Brasil, em parceria com o instituto Butantan, e sua eficácia foi de 78% para casos leves e de 100% contra mortes, casos graves e internações nos voluntários vacinados que foram contaminados.

A taxa de eficácia é um conceito que se aplica a vacinas em estudos e representa a proporção de redução de casos da doença contra a qual ela quer proteger entre o grupo vacinado comparado com o grupo não vacinado.

Na prática, se uma vacina tem 78% de eficácia para casos leves, isso significa dizer que 78% das pessoas que tomam a vacina ficam protegidas contra aquela doença. A taxa mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 50%.

O Butantan solicitou na quinta-feira (7) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a aprovação do uso emergencial do imunizante no país. A Anvisa, no entanto, diz que o instituto apresentou nesta quinta-feira (7) informações referentes a eficácia e segurança da vacina, mas que ainda não houve a submissão do pedido.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

CoronaVac cai e ficam em 65,3%; no Brasil, atigniu 100% contras mortes, casos graves e internações

A Indonésia informou nesta segunda-feira (11) que a CoronaVac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac, teve 65,3% de eficácia segundo os resultados preliminares da última fase de testes do imunizante contra a Covid-19 no país.

A vacina também é testada no Brasil, em parceria com o instituto Butantan, e sua eficácia foi de 78% para casos leves e de 100% contra mortes, casos graves e internações nos voluntários vacinados que foram contaminados.

A taxa de eficácia é um conceito que se aplica a vacinas em estudos e representa a proporção de redução de casos da doença contra a qual ela quer proteger entre o grupo vacinado comparado com o grupo não vacinado.

Na prática, se uma vacina tem 78% de eficácia para casos leves, isso significa dizer que 78% das pessoas que tomam a vacina ficam protegidas contra aquela doença. A taxa mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 50%.

O Butantan solicitou na quinta-feira (7) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a aprovação do uso emergencial do imunizante no país. A Anvisa, no entanto, diz que o instituto apresentou nesta quinta-feira (7) informações referentes a eficácia e segurança da vacina, mas que ainda não houve a submissão do pedido.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html