Na Câmara do Comércio dos EUA, Guedes define Bolsonaro a investidores: “Um rapaz com colhões”

BR: O ministro da Economia, Paulo Guedes, não é um modelo de alta etiqueta, isso já está claro em suas entrevistas e discursos no Brasil. Nesta segunda-feira 18, segundo dia da viagem do presidente Jair Bolsonaro e comitiva à Washington, ele exportou seu jeito tosco de falar. Para definir o presidente, durante discurso a investidores reunidos na Câmara de Comércio dos EUA, Guedes lançou mão da chamada linguagem do ‘populacho’.

“Ele é um rapaz de colhões”, descreveu o ministro, querendo dizer que Bolsonaro tem fibra e coragem para controlar o déficit público. Em inglês, Guedes usou o termo ‘balls’, provocando risos na plateia, numa indicação de pegou bem.

O ministro foi interrompido duas vezes por aplausos durante o seu discurso, com promessas de abertura comercial e simplificação tributária. Guedes usou a guerra comercial entre EUA e China para provocar a plateia.

“A China sabe dançar conforme a música”, disse ele, querendo dizer que o país asiático está investindo em infraestrutura no Brasil. “E vocês, nos Estados Unidos, o que vão fazer?”, questionou, em busca de investimentos americanos.

A resposta à pergunta foi dada pelo próprio Guedes, agora de maneira bastante apropriada em relação ao local do pronunciamento, na capital dos EUA.

“Temos um presidente que adora Coca-Cola e Disneylândia. É uma grande oportunidade para investir no Brasil. Eu os convido para essa nova parceria (…). Vocês podem ir lá ajudar a financiar nossas rodovias, ir atrás de concessões de petróleo e gás. Daqui a três, quatro meses, vamos vender o pré-sal. Todos vão estar lá: chineses, americanos, noruegueses.

O recado estava dado.