Multidão atende ordem de Trump e faz grande ato em Washington contra vitória de Biden; “Nós nunca vamos admitir”

O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, disse nesta quarta-feira (6) a uma multidão de apoiadores em Washington que não vai aceitar a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro. A manifestação ocorre momentos antes da sessão no Congresso americano que deve certificar a vitória do democrata.

“Nós nunca vamos admitir”, disse Trump aos apoiadores no Ellipse, parque perto da Casa Branca. “Nós vamos parar com o roubo [das eleições]”, insistiu.

Trump, que perdeu a eleição de 3 de novembro mas até agora não aceitou o resultado, alega que houve fraude na votação. No discurso, ele sustentou que venceu “por muito” a eleição presidencial, e que a margem “sequer foi pequena”. Porém, com os números das urnas certificados pelos estados, Biden venceu no Colégio Eleitoral por 306 votos a 232 — ou seja, o republicano teria que virar o jogo em mais de um estado-chave para reverter a derrota.

Além disso, Trump voltou a pressionar o vice-presidente Mike Pence, que preside a sessão no Congresso, para que não certifique a vitória de Biden — ação que não encontra fundamento constitucional.

Um de seus filhos, Eric Trump, já falou para os milhares de apoiadores do pai: “Há alguém aqui que realmente pensa que Joe Biden ganhou esta eleição?”.

Todos os estados já certificaram que Biden venceu a eleição contra Trump por 306 votos a 232 no Colégio Eleitoral, e todas as contestações do atual presidente na Justiça fracassaram.

“Não importa”, afirmou Eric Trump. “Eles podem mentir; eles podem trapacear; eles podem roubar. Meu pai iniciou um movimento e este movimento nunca, jamais morrerá.”

O protesto ocorre no dia em que o Congresso deve certificar a vitória de Biden, em sessão marcada para começar às 15h (horário de Brasília).

Dezenas de legisladores republicanos da Câmara e do Senado permanecem fiéis a Trump e prometeram se esforçar para bloquear a certificação do resultado, o que pode atrasar sua conclusão. Mas é quase certo que o movimento fracassará.

Em condições normais, a sessão seria um procedimento meramente formal. Mas Trump tem pressionado até seu vice-presidente, Mike Pence, que vai presidir a sessão, a não aceitar a certificação de Biden.

Trump pressiona Mike Pence para não certificar a eleição americana
https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.432.0_pt_br.html#goog_1110409430–:–/–:–

Trump pressiona Mike Pence para não certificar a eleição americana

Isso não deve mudar o fato de que o democrata tomará posse em 20 de janeiro. O Colégio Eleitoral se reuniu em dezembro e o escolheu formalmente como o próximo presidente, e agora cabe ao Congresso chancelar a decisão.