VEJA promove, com apoio do Facebook, o primeiro debate com candidatos a vice-presidente da República nas eleições 2018.

Mourão não recua e ataca demissão de Ilona, aplaudida por filhos de Bolsonaro: “Perde o Brasil”

BR: O general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, demonstrou, mais uma vez, que não tem medo de polemizar com os filhos do presidente Jair Bolsonaro e, também, com o próprio chefe do governo. Retomando um assunto que parecia ter ido para o arquivo – a demissão da cientista política Ilona Szabó do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) -, Mourão disse ao jornal Valor Econômico que não gostou da decisão.

“Eu acho que perde o Brasil”, afirmou Mourão. “Perde o Brasil todas as vezes que você não pode sentar numa mesa com gente que diverge de você”. Questionado se o caso não seria um enfraquecimento do ministro da Justiça, Sergio Moro, que teve de voltar atrás na nomeação por ordem de Bolsonaro, Mourão destacou que o recuo faz “parte da política”.

“A política é isso aí, você não consegue impor, senão vira ditadura”, afirmou.

Dois filhos do presidente fizeram pressão pela queda e comemoraram publicamente a demissão de Ilona.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) foi um dos que fez uso das redes sociais para manifestar insatisfação contra a escolha de Ilona e fazer pressão contra a permanência dela no conselho. “Meu ponto de vista é como essa Ilona Szabó aceita fazer parte do governo Bolsonaro. É muita cara de pau junto com uma vontade louca de sabotar, só pode”, postou Flávio, filho de Bolsonaro.

Após a saída dela, o deputado Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais para comemorar a exoneração. Fazendo ouso da hashtag #GrandeDia, ele também citou a saída do desarmamentista Renato Sérgio de Lima, que decidiu se desligar do cargo no conselho após Moro ceder à pressão do presidente e das redes sociais,