Mourão chamado por conservadores para ser candidato a governo do Rio; vice já aparece em 3º lugar nas pesquisas, colado em Freixo e atrás de Paes

Voltou a circular a notícia de que o vice-presidente, o General Hamilton Mourão (PRTB), possa ser candidato a governador do Rio de Janeiro em 2022. Inclusive, em uma pesquisa encomenda pelo PRTB, partido do vice-presidente, ele apareceria em 3º lugar, empatado tecnicamente com Marcelo Freixo (PSB):

  • Eduardo Paes – 13,4%
  • Marcelo Freixo – 7,9%
  • General Hamilton Mourão – 7,8%
  • Anthony Garotinho – 6,1%
  • Romário – 6,1%
  • Claudio Castro – 4,3%
  • Outros – 3,5%
  • Tarcisio Motta – 2,3%
  • Rodrigo Neves – 1,5%
  • Washington Quaquá – 0,9%
  • André Monteiro – 0,4%
  • Felipe Santa Cruz – 0,1%
  • Nulo/Branco – 24,3%
  • Não Sabe/Não respondeu – 21,4%

Em sua análise, em junho, o politólogo Mario Marques dizia em junho que achava melhor que Mourão fosse candidato a deputado federal, do que governador. Para Marques, “as chances de Mourão são remotas. Cada vez mais desligado de Bolsonaro, tende a ficar esvaziado com o alinhamento de Claudio Castro ao presidente. Mais do que isso: Mourão seria estilhaçado pela militância bolsonarista com a pecha de “traidor” e apanharia sem perdão“.

Entretanto, entre junho e agosto, o PRTB parece ter aumentado as apostas neste balão de ensaio. Do O Globo ao O Antagonista, noticiaram sobre uma entrevista de Mourão ao Instagram do professor Antonio Carlos, presidente do PRTB-RJ, em que o General fala longamente sobre o Rio de Janeiro, o programa também é reproduzido na Rádio Carioca. Inclusive elencando medidas que o estado do RJ precisa, em uma espécie de plano de governo:

Na questão econômica é preciso resolver o equilíbrio fiscal. O Rio tem que entrar dentro do orçamento. É preciso reformas previdenciária, administrativa, enxugamento do estado. O ambiente de negócios não é amigável. Tem ainda a ocupação desordenada do solo na cidade. As favelas… Usa-se o eufemismo ‘comunidade’, mas as pessoas vivem sem saneamento e elas têm que ter acesso a esgoto e titulo de propriedade. É preciso também o combate incessante ao tráfico de drogas, atuando em cima do financiamento. O Rio pode ser um grande centro financeiro, comercial e portuário“, disse Mourão.

Na entrevista, ele também analisa mazelas do Rio serão entremeadas a recordações da infância nas ruas de Copacabana, para onde se mudou aos 4 anos, vindo do Rio Grande do Sul. Rememora os primeiros jogos do Flamengo, que assistiu no Maracanã em companhia do pai; relembra os amigos de Copacabana e depois recorda os postos de comando que ocupou na cidade, já como oficial do Exército Brasileiro.https://64be42679802437ae9aea2563380cd18.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Em setembro, está programada uma palestra, possivelmente na Associação Comercial, onde Mourão vai discorrer sobre suas origens cariocas, especialmente em Copacabana, e analisar os problemas do Rio, com foco em segurança pública. Um pauta nitidamente de candidato, embora nada tenha sido efetivamente decidido.

De acordo com Antonio Carlos, “Nada está decidido, mas nada também está descartado“. Ou seja, Mourão pode ser candidato a governador, senador, deputado federal, ou continuar na reserva como General, já que dificilmente repetirá a chapa com Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022.

Ele disputa voto diretamente com o governador Claudio Castro (PL), que continua favorito em 2022, especialmente no voto entre os conservdores.