Moro conta novas interferências de Bolsonaro na PF e vai ao Twitter divulgar entrevista à revista Crusoé; delator e marqueteiro

Trecho:

No trecho da entrevista exclusiva à revista Crusoé a seguir, Moro fala sobre a omissão de Bolsonaro na aprovação de pontos importantes do projeto anticrime — uma das principais bandeiras do ex-ministro — e sobre a investigação em torno de Flávio Bolsonaro que apura o envolvimento do filho 01 do presidente no esquema de “rachadinha” na Assembleia Estadual do Rio:

“CRUSOÉ – O presidente demonstrava preocupação, nos bastidores, com as investigações sobre o filho dele, o senador Flávio Bolsonaro?MORO – Essa é uma investigação da polícia estadual e do Ministério Público estadual. Não cabia ao Ministério da Justiça realizar qualquer espécie de interferência.

CRUSOÉ – Ele fazia cobranças em relação a esse assunto?
MORO – 
Para mim não poderia fazer porque não é da minha área. (…) Mas me chamou a atenção um fato quando o projeto anticrime foi aprovado pelo Congresso. Infelizmente houve algumas mudanças no texto que acho que não favorecem a atuação da Justiça criminal. Tirando a questão do juiz de garantias, houve restrições à decretação de prisão preventiva e também restrições a acordos de colaboração premiada. Propusemos vetos, e me chamou muita atenção o presidente não ter acolhido essas propostas de veto, especialmente se levarmos em conta o discurso dele tão incisivo contra a corrupção e a impunidade. Limitar acordos e prisão preventiva bate de frente com esse discurso. Isso aconteceu em dezembro de 2019, mesmo mês em que foram feitas buscas relacionadas ao filho do presidente.

CRUSOÉ – O sr. entende que ele não vetou porque precisava proteger o filho?
MORO Me chamou atenção porque é incoerente com o discurso. Assim como são incoerentes com o discurso as alianças recentes que o presidente tem feito com personagens do nosso mundo partidário que não se destacam exatamente pela imagem de probidade. Acho isso um tanto peculiar porque o discurso para os eleitores é um, e a prática é outra bastante diferente…