Sérgio Moro em Brasília 22/11/2018 REUTERS/Adriano Machado

Moro “confundiu de vez papel do juiz com o de ministro” e pode ser convocado pelo Congresso para explicar acesso a conteúdos capturados por hackers

BR: O acesso feito pelo ministro Sergio Moro, da Justiça, aos conteúdos obtidos pelos hackers presos pela PF com a invasão de celulares de autoridades, políticos e empresários deve custar a ele uma convocação pelo Congresso para dar explicações.

Há uma discussão em curso para convocar o ministro, tão logo acabe o recesso parlamentar, a dar explicações ao Congresso sobre o seu acesso ao inquérito. A ideia é que Moro seja provocado a responder como e em quais condições obteve a lista de autoridades hackeadas —uma vez que, na condição de ministro, ele não poderia ter ingerência sobre investigações da PF.

“Moro está confundindo de vez o papel do juiz com o de ministro. Diferentemente do que disse na Câmara, de que acompanhava a investigação apenas como vítima, ele deu sinais de que comanda a investigação ao violar seu sigilo [da investigação]. A lei de abuso de autoridade está na berlinda”, disse à Folha o líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL).

A suposta quebra do sigilo do inquérito e o possível abuso de autoridade de Moro tornaram-se eixos de um processo de desestabilização.

Em conversas reservadas, políticos e magistrados dizem que a permanência do ministro no governo de Jair Bolsonaro (PSL) ficou insustentável e defendem que ele se afaste do cargo até a conclusão das investigações, aponta a Folha de S. Paulo.