Manifestações estudantis têm menor adesão, mas mantêm expressão nacional; boneco de Bolsonaro é queimado em Brasília por secundaristas

Entidades estudantis realizam nesta quinta-feira, 30 de maio, novos protestos contra os cortes na Educação pública, e os organizadores esperam reunir manifestantes em várias cidades do país ao longo do dia. Em Brasília, os protestos ocorreram pela manhã reuniram entre 1.500 (estimativa da PM) e 10.000 pessoas (de acordo com os organizadores).

Os atos são encabeçados pela UNE (União Nacional dos Estudantes) e contarão com a participação de pessoas convocadas pelas centrais sindicais contrárias à reforma da Previdência, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Em São Paulo, milhares de pessoas começaram a se reunir, a partir das 16 horas, no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, para protestar contra o bloqueio de verbas para a educação pelo governo Bolsonaro. O público é composto, em grande parte, por estudantes de instituições federais, integrantes de movimentos sociais e de centrais sindicais. Além do fim do contingenciamento de verbas, pedem a liberdade do ex-presidente Lula e o fim da reforma da previdência. 

No Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre e Recife os atos também estão previstos para esta tarde. É a segunda manifestação contra a gestão de Jair Bolsonaro na área do ensino, comandada pelo ministro Abraham Weintraub (MEC). No último dia 15 de maio, milhares de pessoas —entre professores, pesquisadores, alunos secundaristas e universitários, além de pais de estudantes— saíram às ruas em defesa do ensino.

Em Brasília, estudantes ligados à União Brasileira dos Estudantes Secundaristas queimaram um boneco representando o presidente Jair Bolsonaro.

Assista:

https://media.gazetadopovo.com.br/2019/05/30143618/videomanifestacao.mp4

O presidente nega que o contingenciamento de investimentos na área sejam cortes, e chamou os manifestantes de “idiotas úteis”. O protesto estudantil desta quinta-feira acontece dias após os atos convocados pelo mandatário em defesa da sua pauta Legislativa.