Mancha aparente; coordenadora de pré-campanha de Moro acusada de corrupção; desvio de R$ 483 mil de verba partidária

A coordenadora de pré-campanha de Sergio Moro será deputada acusada de corrupção. Dayane Pimentel, do PSL, foi acusada em 2019 pelo vereador David Salomão, do PRTB, de ter desviado R$ 483 mil de verba partidária. Ela teria ficado com a maior parte do dinheiro da campanha.

Ela anunciou a parceria com o ex-juiz nesta quarta (17) pelas redes sociais. Chamando-o de “futuro presidente”, ela diz que aceitou a “missão” de coordenar o projeto do ex-ministro. “Juntos pelo que acreditamos, pelo nosso país, por ideais, por pautas contra a corrupção”, afirma.

Dayane era presidente do PSL baiano nas eleições de 2018 e foi eleita na onda bolsonarista. Após o início da atual gestão, entretanto, se tornou bolsonarista arrependida em 2019. Ela não aceitou a indicação de Eduardo Bolsonaro para assumir a liderança do PSL na Câmara dos Deputados.