Mais sincericídio? Guedes e Marinho vão amanhã à comissão especial da Previdência; comportamento deles pode incendiar debates

BR: Quando foi à Comissão de Constituição e Justiça defender a reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, falou o que quis, deu combustível para a oposição e, na prática, dificultou a aprovação da PEC. O texto só passou depois, graças à organização de um rolo compressor governista.

Amanhã, na Comissão Especial, as cenas de sinceridade de Guedes podem se repetir. Junto com o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, o ministro foi convidado e aceitou defender a PEC diante dos parlamentares. Vai ter casa cheia, com a oposição se organizando desde já para, em mais esta oportunidade, tirar Guedes do sério. Na CCJ, o ministro levantou da cadeira e foi embora após o deputado Zeca Dirceu, do PT, chama-lo de ‘tchuchuca’.

Acredita-se que, na comissão especial, os apoiadores do governo estejam melhor preparados para enfrentar as provocações da oposição. Mas isso não é certo. A maioria dos integrantes da comissão é composta por deputados dos partidos que formam o centrão, com críticas a diversos pontos da proposta.

O convite a Guedes e Marinho foi decidido hoje pela manhã, durante reunião de líderes partidários. Amanhã, o espetáculo, é certo, está garantido.