Maia recusa convite de Bolsonaro para ir ao Maracanã, dá força para vaza-jato e fala em apoiar Huck ou Doria em 2022

BR: O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, escolheu seu lado – e ele é bem distante do ocupado pelo presidente Jair Bolsonaro. Nesta sexta-feira 5, Maia fez três gestos que demonstram por onde vai seguir pelos próximos anos.

De saída, recusou estar ao lado de Bolsonaro na final da Copa América, domingo, no Maracanã – onde também vai estar o ministro Sergio Moro.

Além da recusa, declarou sua preocupação com o conteúdo dos vazamentos de diálogos de Moro com os procuradores da Lava-Jato, em lugar de simplesmente negar sua veracidade, e já demarcou posição para a sucessão presidencial de 2022. Ele vai ficar ou com João Doria, o governador de São Paulo, ou com Luciano Huck, o global.

Acompanhe:

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou nesta sexta-feira, 5, o governador de São Paulo, João Doria, e afirmou que o ocupante deste cargo é sempre um nome forte para a corrida presidencial de 2022. Na entrevista para a Rádio Jovem Pan, Maia também fez um aceno ao apresentador de TV Luciano Huck.

“O governador de São Paulo é sempre um pré-candidato muito forte. É sempre um ator fundamental no processo e tem uma boa relação conosco. Não só o João, mas o PSDB como um todo”, disse o presidente da Câmara. “(Assim) Como também seria natural estarmos com o Luciano Huck, se ele for candidato”, disse.