JN cada vez mais na oposição; “Fora Bolsonaro genocida”, lê Bonner

William Bonner estava ‘atacado’ na edição de segunda-feira (31) do ‘Jornal Nacional’. O âncora parece ter voltado da folga no fim de semana com ‘sangue nos olhos’.

O telejornal teve quatro matérias críticas a Jair Bolsonaro. Em uma delas, o apresentador — que também é editor-chefe — rebateu o “deboche” do presidente sobre os protestos antibolsonaristas de sábado (29).Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias de EntretenimentoAtivar notificações

Enquanto Bolsonaro disse a apoiadores ter havido “pouca gente” nas ruas, Bonner afirmou que “na verdade, as manifestações não foram pequenas”. Imagens mostraram ruas e avenidas tomadas por insatisfeitos.

Um quinto momento negativo ao chefe do Executivo foi quase no final do ‘JN’. Bonner noticiou a prisão de um dirigente petista por policiais em Goiânia.

O militante circulava com uma mensagem cobrindo o capô de seu carro. “O adesivo dizia ‘Fora Bolsonaro genocida’”, informou Bonner, dando ênfase ao bordão. Foi inusitado ouvir tais palavras de protesto na voz mais famosa do telejornalismo.

Coincidência ou não, a hashtag #Lulagenocida liderou os Trending Topics do Twitter no Brasil por algumas horas após o ‘Jornal Nacional’. Parece ter sido reação coordenada dos seguidores de Jair Bolsonaro em noite de artilharia pesada do jornalismo da Globo.