Bolsonaro torna permanência de Levy no governo impraticável: “Está com a cabeça a prêmio há algum tempo”; disse de chofre; “Não está sendo leal”

O presidente Jair Bolsonaro deu uma bronca pública no presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Joaquim Levy, e ameaçou demiti-lo na próxima segunda-feira, 17, caso ele não suspenda a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de mercado de capitais do banco de fomento. 

“Levy nomeou Marcos Pinto para função no BNDES. Já estou por aqui com o Levy”, disse o presidente neste sábado, 15. “Falei para ele: demite esse cara (Pinto) na segunda ou eu demito você (Levy) sem passar pelo Paulo Guedes (ministro da Economia)”, afirmou o presidente.

‘Falei para ele: demite esse cara na segunda ou eu demito você sem passar pelo Guedes’, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada neste sábado.

“Governo tem que ser assim: quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que ele conhece a meu respeito, ele (Levy) está com a cabeça a prêmio há algum tempo”, continuou o presidente.

O que irritou Bolsonaro foi o presidente do BNDES ter colocado Pinto – que já tinha trabalhado como assessor do BNDES durante o governo PT, de 2005 a 2007 – na diretoria que terá como foco a venda de participações da BNDESPar, braço de participações do banco de fomento.